É Bola na Rede - 100% Esportes, 100% Guarulhos

Publicidade

[]
[É Bola na Rede]

Publicidade

[]

Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais

Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais

Os irmãos William e Wesley Pereira, árbitros na várzea da Grande São Paulo, são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais (Foto: ebolanarede)

A necessidade com falta de oportunidade no futebol brasileiro, obriga os irmãos Wesley e William Pereira encarar o risco de agressões todos os finais de semana na várzea da Grande São Paulo atuando como árbitros de futebol

 

Por   Edson Oliveira

 

Quem vê os irmãos  Wesley  Pereira e William Pereira, apitando nos campos do futebol amador de Guarulhos/SP, imagina que eles são apenas mais dois árbitros de futebol da várzea. O que a grande maioria não sabe é que, os irmãos árbitros de futebol, moradores da cidade de Mogi das Cruzes/SP, na região do Alto Tietê, são mais duas vítimas do futebol brasileiro. Segundo o levantamento da  CBF ( Confederação Brasileira de Futebol)   menos de 0,5% do total dos 28.203 jogadores profissionais no Brasil, vivem o glamour da bola que todo jovem do país  sonha em ter. A grande maioria, faz de quase tudo um pouco para sobreviver enquanto não surge uma proposta de trabalho. Cerca de 23.238, 83,4% dos jogadores profissionais do país do futebol, ganha menos de R$ 1.000,00 , um salário mínimo por mês.

Para os irmãos Pereira, jogadores profissionais rodados no futebol brasileiro, jogando em equipes do interior paulista, a alternativa encontrada para manter as contas em dia enquanto não surge uma nova oportunidade no futebol profissional é se deslocar de Mogi das Cruzes/SP para a cidade de Guarulhos, na grande São Paulo, para atuar como  árbitros na várzea.

Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionaisEm dia proveitoso, quando é possível apitar três jogos seguidos, os irmãos Wesley e William Pereira, os  “boleiros do apito”, conseguem retornar para a cidade mogiana, com R$ 400,00, depois de ouvir muitas ameaças verbais de torcedores, jogadores, dirigentes e correndo o risco, o tempo inteiro, de agressões físicas. pois afinal, no futebol amador, quando os árbitros entram nos campos dos principais campeonatos do futebol amador da Grande São Paulo, popularmente chamados de Arenas, eles são jogados para os “Leões”- jogadores, dirigentes ,torcedores – cujo a única segurança é a proteção divina e o preparo físico para correr o mais rápido e o mais distante possível para fugir dos “Leões” irados com alguns erros de arbitragem.

Sem conseguir novas oportunidades no futebol brasileiro, os irmãos “boleiros do apito”, conseguiram a chance de jogar na terceira divisão da Liga norte-americana de Soccer (futebol), onde atuam desde 2015. Como o campeonato nos Estados Unidos dura  no máximo seis meses, período que coincide com a   validade do visto de permanência na terra do “Tio Sam”, os outros seis meses do ano, eles retornam ao Brasil, deixam a condição de ídolo dos torcedores  do  The Villages SC  e se transformam nos “vilões” dos campos de várzea de Guarulhos, na Grande São Paulo.

- Minha trajetória nos Estados Unidos começou no ano passado, através do meu irmão William, que em 2015 foi contrato pelo The Villages SC  fez um bom trabalho e ele falou de mim, mostrou meu DVD, os dirigentes norte-americanos gostaram e me contrataram no ano passado. Neste ano já está tudo certo e na primeira quinzena de Abril eu viajo para começar a pré-temporada. Jogar nos Estados Unidos é muito bom, lá tenho todas as condições de trabalho, apoio  dos dirigentes para fazer um bom trabalho. No ano passado, o nosso time enfrentou o  Miami, eu pude anular o Adriano Imperador,que estava jogando no Miami, o que acrescentou a confiança dos dirigentes e torcedores no meu trabalho – Disse, Wesley Pereira, que viaja no dia  9 para a terra do Tio Sam.

- Nosso time chegou a enfrentar o time do Marco Senna, do David Villa, ex-Barcelona, grandes jogadores que estão no futebol dos Estados Unidos. É uma experiência muito boa pra mim e para o meu irmão – Declarou, William Pereira, que ainda  espera um  boa proposta do Tio Sam ou de algum time brasileiro.

Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais

A carreira profissional dos irmãos Pereira no futebol brasileiro é muito semelhante. Desde muito cedo, Wesley Pereira, começou na base do São Caetano/SP depois teve passagens pelo Juventus/SP, Barueri/SP e se profissionalizou  aos 20 anos, no Pouso Alegre/MG, jogou na sequência no Ecus/SP, União Mogi, Barretos/SP,  passagens pelo futebol catarinense(Concórdia, primeira divisão), futebol Gaúcho ( Veranópolis) e Paranaense. Trajetória muito semelhante do seu irmão William.

Apesar de toda essa trajetória no futebol brasileiro, os irmãos Wesley e William, não conseguiram a tão sonhada grande oportunidade no futebol brasileiro, que pode ser atribuída a não ter um  empresário com influência no futebol nacional.

Como as contas não esperam a  assinatura de contratos, os irmãos mogianos resolveram fazer o curso de arbitragem  em 2014 e começaram a apitar mesclando os conhecidos teóricos e a prática , malandragem e a linguagem de boleiro, o que tem contribuído para os  irmãos boleiros do apito conquistarem  relativo sucesso  como árbitros na várzea da grande São Paulo.

-A gente começou a apitar pelas dificuldades. A cerca de três anos surgiu a oportunidade e a gente encarou com a  cara e a coragem e a proteção de Deus. Como a gente é jogador profissional já sabia o que é falta, noção de regras , então encaramos para ganhar um dinheiro extra e nos finais de semana estamos sempre trabalhando na Grande São Paulo. Ultimamente estamos atuando bastante em Guarulhos, sempre que somos chamados pelo Padilha e o Lucas, da HM, que são responsáveis pela arbitragem dos principais campeonatos do futebol amador de Guarulhos.  É claro  que não era o que agente gostaria de estar fazendo, mas na hora das dificuldades, nesse intervalo que a liga norte-americana não começa ou a gente não tem uma proposta daqui, a gente tem que encarar o apito- Disse, Wesley.

Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais

A parceria  familiar  também tem ajudado os irmãos Wesley e William  vencer as dificuldades nas Arenas  na várzea.  Para William,o seu irmão mais velho, além de ser um assistente de confiança, também é um parceiro na hora que o bicho pega dentro de campo.

- Apiitar com o meu irmão é muito bom, porque a gente já está  acostumado trabalhar juntos. Ele tem o mesmo estilo de arbitragem que o meu e facilita bastante. Trabalhar com o irmão também te deixa tranquilo porque você trabalha com alguns companheiros que na  hora que o bicho pega não tá nem aí para você – Declarou, William.

Histórico de agressão e o comportamento nada amistoso dos jogadores da várzea, são algumas das dificuldades enfrentadas pelos  árbitros boleiros.

-Já fui agredido na várzea duas vezes, covardemente. Eu expulsei o atleta, ele veio e me deu u m soco  no rosto. Apitar na várzea é complicado. Quando o time do cara ganha ele bate nas suas costas e diz que você é o melhor árbitro que já apitou por ali. Mas, quando perde, infelizmente, o jogador da várzea não sabe perder, não reconhece que o outro time foi melhor. Aí eles tentam descontar toda a sua raiva no árbitro. A gente apita mesmo só porque é um dinheiro a mais, uma necessidade, porque não pinta  nada proveitoso aqui, mas assim que a situação melhorar vamos parar de apitar. É muito complicado – Finalizou, o árbitro  e o meio-campista profissional Wesley Pereira.

Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionaisHá duas temporadas no The Village SC, da Flórida, terceira divisão norte-americana,  os boleiros do apito esperam  chegar à primeira divisão da terra do Tio Sam, onde os salários são bem vantajosos. Por enquanto a parceria está desfeita porque,apenas, o irmão Wesley ( Ver abaixo o DVD dos irmãos boleiros do apito) renovou o contrato e já viaja em breve para os Estados Unidos. William, irmão mais novo, precursor desta trajetória dos irmãos mogianos  no futebol(soccer) norte-americano, ficou no Brasil e deve seguir apitando na várzea da grande São Paulo, agora  sem o seu  irmão Wesley como o seu árbitro assistente.

 

 Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais

 

 

Acesse e veja os DVDs dos árbitros Wlliam e Wesley, jogando na liga norte-americana

hhttps://www.youtube.com/watch?v=KMzPLovyXKI&feature=youtu.bettps://www.youtube.com/watch?v=KMzPLovyXKI&feature=youtu.be

 hhttps://youtu.be/y-hrvK9cLZwttps://youtu.be/y-hrvK9cLZw

 

Galeria de fotos

Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais  Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais

 Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais   Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais

Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais     Árbitros que atuam no futebol amador de Guarulhos são destaques na liga norte-americana como jogadores profissionais